Kenzie Academy e transferbank lançam curso gratuito para profissionais que desejam trabalhar no exterior

Com quatro aulas 100% remotas, as empresas mostram como programadores podem se destacar em outros países ganhando em moedas estrangeiras

  • Por Henrique Rabadan
  • 08/08/2023 14:12
Kenzie Academy e transferbank lançam curso gratuito para profissionais que desejam trabalhar no exterior Kenzie Academy e transferbank lançam curso gratuito para profissionais que desejam trabalhar no exterior
Crédito: Créditos: Pexels

O mercado de TI segue ofertando oportunidades ao redor do mundo, sendo que 75% dos profissionais da área dizem que abandonariam o mercado brasileiro para ganhar em dólar, como aponta um levantamento da Icon Talent. Diante desse cenário, o transferbank, uma das principais soluções de pagamentos e recebimentos internacionais do Brasil, e a Kenzie Academy Brasil, escola de programação com metodologia do Vale do Silício, lançaram um curso gratuito voltado para programadores que desejam trabalhar para empresas de fora do País.

As aulas iniciciaram dia 03 de agosto e vão continuar nas quatro primeiras quintas-feiras do mês, sempre às 18h. Em formato totalmente remoto, com vagas ilimitadas e transmissão pelos canais do YouTube das empresas, a dinâmica consiste em trazer especialistas de ambas as companhias para compartilharem suas vivências, conhecimentos e crenças sobre o tema, abrindo margem para perguntas dos estudantes que estiverem assistindo ao vivo. Ao final, os participantes poderão solicitar um certificado de conclusão, que será emitido gratuitamente. Todas as informações podem ser consultadas nesse link.

A primeira aula é focada nos requisitos básicos que uma vaga no exterior exige, abordando questões linguísticas e culturais, rotina, tipos de vaga e estilos de contratação mais comuns; a segunda é centrada em como buscar essas vagas e se preparar para a entrevista; na terceira será mostrado como resolver as questões tributárias, relacionadas a impostos, salário e como trazer esse dinheiro para o Brasil; e a quarta faz um apanhado do curso, com algumas dicas sobre portfólio e outros meios de conseguir uma oportunidade de trabalho fora do País.

Segundo Daniel Kriger, CEO da Kenzie Academy Brasil, essa estrutura veio para atender uma demanda de milhares de programadores. “A combinação de trabalhar de forma remota e ganhando em moeda estrangeira é extremamente atrativa, por isso notamos um desejo cada vez maior das pessoas de aprender como procurar vagas em empresas de outros países e se preparar para os processos burocráticos que envolvem essa realidade, como o recebimento dos pagamentos pelos serviços prestados. A partir disso, encontramos uma sinergia com o transferbank para lançar um curso que abordasse o tema”, diz.

Rafagan Abreu, CTO da fintech, complementa esse raciocínio ao destacar que a globalização dos negócios é outro fator de peso na criação de novos empregos em TI no exterior. “Com o desenvolvimento tecnológico, as companhias estão cruzando as fronteiras com maior frequência para contratarem mão de obra de outras nações, em especial as emergentes. Dada essa proximidade, é normal que as pessoas passem a ouvir falar a respeito dessas oportunidades e busquem mais informações. Assim, acreditamos que podemos gerar um conteúdo de qualidade e de interesse de muitos por meio da parceria com a Kenzie Academy Brasil”, complementa.

Conhecimento de ponta para os programadores

O projeto criado pelas empresas junta as expertises de ambas, oferecendo uma experiência completa aos programadores que desejam trabalhar no exterior sobre todos os pontos dessa jornada. Com mais de 4 mil alunos, a Kenzie Academy Brasil está principalmente no forte auxílio que a edtech presta na concepção do currículo ideal, orientando sobre a construção e organização do portfólio do profissional de TI.

Já o transferbank, que divulgou uma movimentação recente de R$2.8 bilhões, otimiza transferências internacionais de modo 100% digital por meio da sua plataforma, com taxas transparentes e menores do que as de instituições financeiras tradicionais e operações seguras e simplificadas. Além disso, a fintech possui um time operacional que está disponível para sanar qualquer dúvida técnica dos clientes, ajudando cada um a montar o melhor planejamento financeiro frente à flutuação cambial.